https://media.graphassets.com/Zj0GgaHR9SyIwOXKBGaw

Insurtechs: O futuro do mercado de seguros?

03 Janeiro 2022

Burocracia excessiva, preços altos e falta de personalização. Se é isso que você pensa quando o assunto é contratar um seguro, provavelmente você já passou por uma má experiência assim como tantas outras pessoas.

Mas a Onli Seguros tem uma boa notícia: as Insurtechs chegaram com o objetivo de solucionar esses problemas!

A principal promessa dessas startups especializadas é que todos possam usufruir de um bom plano de seguros. Através da tecnologia, o principal objetivo é oferecer o seguro ideal de maneira acessível.

A burocracia talvez seja um dos principais impeditivos ao contratar um seguro. As Insurthech trazem a grande oportunidade de fazer com que o mercado de seguros se torne parte da vida das pessoas e corporações de uma forma mais fluida e sem transtornos.

O que é Insurtech?

Basicamente, o termo deriva da junção de duas palavras: insurance (seguro) e technology (tecnologia).

Com o propósito de revolucionar o setor de seguros, essas startups mudam a forma que os consumidores contratam planos de seguro. Esse novo tipo de negócio tem uma grande tendência de crescimento pois traz inúmeras vantagens.

Como as Insurtechs beneficiam o mercado de seguros?

O mundo está cada dia mais digital, os processos estão cada vez mais acelerados. O mercado de seguros é um dos poucos que ainda funcionam predominantemente da maneira tradicional. Mas as Insurtechs buscam desenvolver sistemas digitais que simplificam todo o processo burocrático da contratação de um seguro. Trazendo, desta forma, o mercado de seguros a uma nova era, a modernidade.

O perfil dos consumidores mudou drasticamente, tendo em vista o avanço da tecnologia. Produtos e serviços passaram a ser vendidos com foco na experiência do usuário. No mercado de seguros as exigências por parte dos consumidores passaram a ser:

  • Acessibilidade: possibilidade de contratar bons planos mesmo com recursos financeiros baixos e facilidade para compreender o que está sendo proposto.
  • Diminuição da burocracia,
  • Agilidade no processo,
  • Adaptável ao perfil do consumidor (personalização do serviço).

As Insurtechs suprem as necessidades e exigências dos consumidores da atualidade. Desta forma beneficiam o mercado de seguro, tanto nacional quanto internacional, de várias maneiras:

  • Levando a possibilidade de contratar um seguro a quem antes não tinha acesso, ou seja, atraindo novos consumidores.
  • Fazendo com que a experiência do consumidor seja melhor.
  • Tornando os serviços cada vez mais personalizados e inovadores.
  • Abrindo espaço no mercado.
  • Trazendo uma nova realidade ao setor de seguros.

Todos esses pontos são muito benéficos para o mercado, que promete crescer muito nos próximos anos com a entrada de novos consumidores.

O benefício se estende às seguradoras tradicionais, trazendo a modernidade ao atendimento e aos serviços prestados por elas. O que amplia a visão de futuro ao atender as necessidades dos consumidores modernos.

As tendências para os próximos anos

O mercado de Insurtechs é recente no mundo, mas prometem muito para o futuro:

1. Crescimento

O mercado de seguros representa cerca de 6,5% do PIB, em 2018 arrecadou cerca de R$444,9 bilhões. De 2018 a 2020 houve um aumento de 47% no número de Insurtechs, segundo o Distrito Dataminer. Sendo que quase a metade delas têm foco em Infraestrutura. De acordo com análise financeira feita pela Capgemini com base em dados do Yahoo Finance e CompaniesMarketCap, as gigantes de tecnologia e as Insurtechs conseguiram acesso a investimentos sem precedentes e estão reforçando cada vez mais seus recursos digitais.

O Crescimento do setor também é uma consequência indireta da pandemia de COVID-19, que fomentou a intenção de aquisição de seguro, por parte do cliente, em até 7%. A pandemia também instigou o crescimento dos serviços online, visto que por muito tempo contatos presenciais foram impedidos e desta maneira as interações por meios digitais foram estimuladas.

A maioria dessas startups especializadas em seguros pertencem ao setor B2B (business to business- vendem produtos/serviços para outras empresas) já que o objetivo é melhorar a eficiência dos processos atuando diretamente dentro das empresas. As empresas B2C (business to consumer- vendem produtos/serviços para o consumidor final) são minoria e distribuem seguros diretamente ao consumidor final.

Os custos reduzidos e a diferenciação no mercado geram grandes ganhos potenciais para as Insurtechs, segundo as seguradoras. Por essa razão a previsão é que elas ganharão uma fatia ainda maior desse mercado.

Segundo estudos da “Latam Insurtech Journey”, atualmente, o Brasil gera cerca de 57% do investimento total do setor na América Latina. Tendo um crescimento de 98% em 2020 comparado ao ano anterior. Desde o início da atividade de Insurtechs na região, no total foram investidos em torno de US $500 milhões. Por estimativa, acredita-se que o investimento possa chegar a US $1,5 bilhões nos próximos 3 anos.

2. Novas tecnologias

As novas tecnologias que essas empresas estão explorando permitem uma análise mais detalhada do perfil dos segurados. No passado, os consumidores eram avaliados no momento de contratação do seguro. O custo era calculado de acordo com os dados preenchidos na cotação, e assim, durante toda a vigência do plano, permanecia. Desta maneira nem sempre a precificação ocorria da maneira mais adequada.

Com o uso de algoritmos para análise de comportamentos, incluindo IA/modelagem preditiva, análise avançada de dados, APIs (seguro aberto) e IoT (dispositivos conectados), as Insurtechs entendem melhor o perfil de cada consumidor, personalizando os planos de modo a oferecer a precificação mais justa.

3. Experiência do usuário:

Como o usuário se torna cada vez mais exigente, as maneiras de agradá-lo se tornam mais aguçadas também. O conjunto de fatores que moldam a interação do usuário com determinado produto/serviço gera uma opinião, seja positiva ou negativa, sobre a experimentação realizada, o que é chamado de UX (do inglês, User Experience - Experiência do usuário).

Desta forma, em busca de cada dia melhorar mais a experiência fornecida ao usuário, novas tecnologias, como o Cloud - “a nuvem”que surgiu como forma de democratizar informações e garantir acessibilidade melhorando desta forma a experiência do usuário(UX), possibilitam uma cotação cada vez mais rápida, com falhas reduzidas e aumento da retenção. A alta disponibilidade e o auto escalonamento de servidores também podem ser listados como vantagens proporcionadas pelo Cloud.

A expectativa é que cada vez mais o usuário seja o foco, fazendo com que a experiência oferecida para o usuário seja cada dia mais adaptada.

4. Mais apoio das seguradoras

Devido a pressão que as Insurtechs estão fazendo no mercado de seguros tradicional, é muito provável que novas parcerias, aquisições e investimentos sejam feitos nos próximos anos.

Cerca de 50% dos segurados consideram contratar coberturas no mercado digital, o que leva seguradoras tradicionais a buscarem parcerias estratégicas.

As Insurtechs estão fazendo investimentos significativos para impulsionar o desenvolvimento e inovação no setor de seguros, como mostra a publicação recente do World InsurTech Report 2021 da Capgemini e da Efma.

Gostou de ficar informado sobre essa nova tendência do mercado de seguros? Fica de olho no blog da Onli Seguros!

Até a próxima.

Muito obrigado por ler e, se você ainda gostou, sinta-se livre para compartilhar.

Transformando seu negócio em um lugar melhor.

(41) 4042-0240

suporte@onli.com.br

R. Kellers 521 - 1º e 2º andar
São Francisco - Curitiba - PR

© Copyright 2022. Todos os direitos reservados.